o filme nosso de cada dia

Ah, a cinefilia! Como não exercer? E pensar que, há pouco mais de cem anos atrás, o mundo ainda não sabia o que viria a ser cinema. Cinefilia é sem sombra de dúvidas a minha única religião, na qual Glauber Rocha é ao mesmo tempo deus e diabo, assim como no seu filme ‘Deus e o Diabo na Terra do Sol’, em que Othon Bastos dublou tanto o Deus Negro (Sebastião), interpretado por Lidio Silva, quanto o Diabo Loiro (Corisco), interpretado pelo próprio Othon.

Quando não chamo cinefilia de religião, trato-a por doença. Mas o que é uma religião senão uma doença que ‘cega’ as pessoas? Sendo assim, há mais de dez anos que me autodiagnostiquei cinéfilo (mesmo sem saber exatamente o que era isso). Quando ainda era criança, achava mais divertido ver filmes do que brincar com os garotos da minha idade. Nessa mesma época (quando ainda dependida da programação da TV), festas de finais de ano eram para mim sinônimo de ver filme até o sol raiar. Lembro de uma em que o dia já estava nascendo e começou ‘Central do Brasil’. Era um tempo em que as emissoras ainda selecionavam bons filmes para sua programação. Não sei até onde isso é comum, mas não me recordo de conhecer outras crianças que façam isso. Torço para que elas não sejam assim tão raras.

Foi ainda muito jovem que também comecei a anotar o nome de cada filme que eu assistia, juntamente com a data em que o via. Faço isso até hoje. Juro que lembro nitidamente da noite em que peguei uma agenda e decidi fazer isso. Quando meu tio-avô morreu no ano passado, tive de ir com meu pai selecionar o seus objetos que guardaríamos de recordação de outros que colocaríamos para doação. Foi quando encontrei uma agenda com o nome dos filmes que ele havia assistido acompanhados das datas em que os viu, exatamente da mesma forma que eu ainda faço. Foi algo que me emocionou bastante, ainda mais se tratando de uma coisa que ele nunca soube que eu fazia e que eu também jamais soube que alguém da família fazia igual, muito menos que fazia antes de mim. Já muito debilitado com a doença, ele ainda se deu ao trabalho de anotar os últimos filmes que viu antes de morrer. O nome disso é cinefilia. Guardarei para sempre sua agenda junto com as minhas, tio.

Contudo, cinefilia não se resume apenas a ver filmes. Por essa e por muitas outras razões, fica cada vez mais difícil acreditar quando alguém me diz ser cinéfilo. Ganhei meu primeiro computador logo quando iniciei a adolescência, devendo utilizá-lo para os trabalhos da escola. Porém, durante bastante tempo eu não tive acesso à internet, o que me obrigava ir em lan houses pesquisar os trabalhos, colocar as pesquisas no pendrive e terminar o estudo em casa. Toda semana eu inventava algum trabalho novo só para ter o pretexto de ir à lan house, onde eu pesquisava tudo o que eu podia e encontrava uma variedade de textos sobre história do cinema, que salvava para ler depois. Cheguei até mesmo a criar uma enorme enciclopédia, bastante organizada com biografias dos grandes diretores, fichas técnicas e histórias de bastidores dos filmes mais famosos, história dos movimentos cinematográficos, festivais de cinema e seus vencedores, e muita, muita história do cinema brasileiro. Mas foi um material que inexplicavelmente acabei perdendo em alguma formatação do computador. Uma grande pena.

Agora, Leitor, hei de fazer-lhe uma confissão. Fico envergonhado quando alguém me pergunta sobre algum filme que ainda não vi. Anos atrás eu mentia, dizia que havia visto o filme, mas logo em seguida corria para casa e tratava logo de assisti-lo para que a mentira se tornasse verdade. Hoje em dia não minto mais. Admito quando não vi o filme, mas dói. É por isso que quando fico sabendo de algum filme que não vi, tento reverter a situação o mais rápido possível, para que o constrangimento não se repita novamente. Pode parecer besteira, mas achei que devia contar.

Acontece que, com o passar dos anos, fica cada vez mais difícil encontrar tempo para ver filmes, sobretudo para mim que também não abro mão dos livros. Sendo assim, havia desistido de sempre ficar tentando ver mais filmes que o ano anterior. Havia estabelecido que vendo trezentos e sessenta e cinco filmes por ano estava de bom tamanho. Um filme por dia era um número que eu sempre alcançava. Foi então que percebi alguns amigos cinéfilos estabeleceram a meta de seiscentos e sessenta e seis filmes para 2015. Eu, claro, não ia me permitir ficar por baixo, e estabeleci para mim esse número como meta. Mas 2015 acabou e só consegui ver quinhentos e trinta e oito filmes, sendo quinhentos e quatro vistos por mim pela primeira vez. Eu estava caminhando bem para alcançar essa meta, mas acabei relaxando nos últimos três meses do ano passado.

A conclusão que posso tirar disso é que quanto mais os anos vão passando, menos filmes eu vou poder ver. As responsabilidades só aumentam e o tempo só diminui. Todavia, quem me conhece sabe que não sou homem de desistir assim tão fácil. Eu até poderia ter ficado feliz por ser quem mais viu filmes desse meu ciclo de amigos que estabeleceu esse número como meta. Se eles vão tentar mais uma vez, eu ainda não sei, mas 2016 é um dos últimos anos, quiçá o último, em que terei tempo para ver esse número de filmes. Talvez eu esteja enganado e não queira enxergar que 2015 foi minha última chance, mas sou um cinéfilo muito otimista e prefiro acreditar que tudo está a meu favor, afinal, 2016 é ano bissexto e terei vinte e quatro horas a mais para conseguir realizar esse feito. Seja o que Glauber Rocha quiser! Se eu sumir uma vez ou outra, não se assuste: estou assistindo a algum filme. Até a próxima! Abraçaço.

Anúncios
Deixe um comentário

3 Comentários

  1. Você me fez pensar nos livros que eu ainda não consegui ler e que vivo dizendo a mim mesma que ainda o farei… hahahaha
    Ao menos, no ano passado eu bati o pé e disse que só compraria novos livros quando tivesse lido todos os que já tenho. Por enquanto está a funcionar… rs

    Bacio

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  2. Gostei de saber alguém faz listas. Já me sentia uma maluquinha.
    Olha, tenho a lista dos livros q li até hoje.
    Parabéns pela sua lista.
    Um abraço, o Miau do leão

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  3. Muito bom post ! Também faço listas !

    Curtido por 1 pessoa

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: